A vida consegue surpreender-nos sempre. Umas vezes são surpresas boas, outras vezes são surpresas más. Mas nunca, nunca, deixam de arrebatar-nos o coração.

A vida tem trazido variadíssimas situações e eu tenho conseguido ser feliz, apesar de tudo.

 

Mariana

Primavera

A Primavera chegou em força! É uma época para arrumar ideias e delinear objectivos para o futuro. Tenho tantos projectos e não quero perder pitada da Vida.

O cancro fará parte da minha vida. No passado, no presente e para o futuro, mas não deixarei que ele viva por mim.

 

Mariana

Vida

A vida corre. Os dias passam.

Estou decidida em recuperar a minha vida, mesmo com todas as diferenças que surgiram nestes últimos meses, e torná-la melhor.

Assumo, apesar de tudo, que estou feliz.

 

Mariana

Tudo ou nada

Há momentos na vida em que nos deparamos com tudo ou nada. Nesses momentos, temos que escolher entre (tentar) ficar com tudo ou escolher ficar com nada. É uma escolha complicada, é certo, mas acaba por ser libertadora. Ficar com nada é uma opç~~ao excelente que nos permite, em certos casos, recomeçar e ganhar uma nova vida.

Concordam?

Notícias

Recebi a notícia de que uma amiga, que vocês conhecem, vai partir em busca da cura para a doença que tem afectado o seu marido e a sua vida. Vou ter saudades e muitas, mas não a posso impedir de tentar ser feliz.

A minha recuperação continua a ser lenta. O ambiente em casa não é o melhor, mas tenho aproveitado para estar com a minha filha. O meu casamento continua a resvalar e basta-me o trabalho para sentir que estou viva e, quem sabe, manter a esperança no futuro.

Miserável.

Posso sentir-me miserável, cansada, doente, sofrida, magoada. E tenho direito a sentir-me assim, é legítimo depois de tudo o que fiz pelos outros e pela forma como lutei contra a doença. No entanto, sei, e tenho sempre presente, que há sempre alguém em piores condições do que eu. Logo, tenho que ser condescendente com a vida e perdoar-lhe a armadilha que me trouxe. Preciso de fazer as pazes com a vida para conseguir recuperar e sair do caos.

Em relação ao meu casamento e à minha vida familiar, não tenho respostas nem soluções.

Viver para sempre?

Não, viver para sempre não é uma opção, não tenho essa escolha. Gostava, apenas, de viver bem enquanto cá estou. E o que é para mim viver bem? Estar tranquila com o corpo que tenho e com a pessoa que sou, viver em paz com todos os que me rodeiam, ter uma família feliz e segura, uma casa bonita onde sinta conforto e ter a capacidade de sorrir sempre, mesmo no meio da tempestade.

Fácil? Nada é fácil. Admito que nunca passei muitas dificuldades na vida e que o cancro trouxe exactamente uma lição de vida. Consigo avaliar o cancro e tentar ver um lado positivo: dar mais valor a mim própria e à minha vida. Sei, agora, que a vida pode ir num sopro e, se há coisa que eu não quero, é perder a minha vida.

Cancro

O cancro dilacerou-me, tirou-me anos de vida saudáveis em poucos meses. Interrompeu a minha vida, as minhas rotinas, abalroou-me no caminho certo que percorria. Sempre achei que seria possível enfrentá-lo e derrota-lo sem deixar mazelas grandes. Sei, agora, que não foi possível. Porquê? Enfrentei-o, derrotei-o, mas as mazelas são grandes e profundas. A nível físico, sei que a recuperação poderá ser lenta e que o meu corpo nunca mais será o mesmo. E a nível emocional? O que é que vai acontecer?

Estou focada em recuperar tudo, contudo as dúvidas são muitas e, às vezes, perco as forças e a coragem.