Diálogo

Como é bom dialogar. Aliás, para mim, é a única de forma de compreender a outra pessoa, de compreender os seus pontos de vista, os seus objectivos, as suas ideias, os seus actos. Através de palavras podemos conhecer os outros.

Deixo uma questão: é assim tão complicado conversar?

 

Mariana

Conversas #4

Conversar sobre o cancro pode ser útil, mesmo que tenhamos que lidar com medos. Liberta-nos de algumas dúvidas, pode gerar outras que mais tarde serão desvendadas, faz-nos perceber que não estamos sozinhos, liberta-nos de emoções, enfim.

Se ainda me custa? Custa. Não o faço com ninguém, pelo menos, de livre e espontânea vontade. Às vezes, nem nas consultas consigo libertar a angústia que sinto. E, agora, a enfermeira sugeriu que faça o penso da cicatriz em casa. Estou com tanto medo de me ver ao espelho, não sei o que esperar, não sei qual será o aspecto…

Conversem comigo. Partilhem a vossa experiência.

 

Mariana

Conversas #2

Quando descobri o cancro o meu objectivo passou a ser um: sobreviver à doença. E, por agora, posso afirmar que sou uma sobrevivente! Tenho muitas preocupações neste ponto da minha vida, e uma delas está relacionada com a minha imagem. O cancro da mama alterou-me o corpo e trouxe-me uma noção diferente sobre mim própria a todos os níveis. Pretendo voltar a sentir-me bem e a gostar de me ver ao espelho. Já conversei com o médico sobre a reconstrução mamária e, se for possível, quero avançar.

E vocês têm conselhos que me possam dar sobre esta cirurgia?