Perdoa-me.

Não consegui contar a verdade. Perdi a coragem e uma úlcera foi a doença que escolhi para camuflar a verdadeira. Não justifica todos os sintomas que tenho tido, mas espero que arrume algumas ideias na cabeça do meu marido.

Um dia todos nós morreremos. É uma lei, um final inevitável. Até chegar esse dia, podemos viver em paz. Ou tentar, pelo menos.

Amo-te muito, meu amor. Só espero que um dia consigas perdoar-me.

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>