Amor

Cada vez que me vejo ao espelho, vejo uma mulher diferente. Mais cansada, velha, feia, doente. Por dentro continuo a ser a mesma mulher, a ter os mesmos sonhos e desejos, a amar da mesma forma. Continuo a viver, ou a tentar viver, com a mesma intensidade e dedicação. Se há falhas, se falho, é mesmo por não conseguir fazer melhor, porque o meu esforço é exactamente o mesmo.

Admito que começa a ser complicado equilibrar o barco e começo a ceder…

 

Amor, amo-te tanto. Tanto.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>