Erro

Hoje sei que errei, que deveria ter feito tudo de forma diferente. Mas, agora, já está feito e não tenho como voltar atrás. Espera-me um momento decisivo e preciso de concentrar todas as minhas forças e energias. Depois tentarei corrigir os meus erros e, se for demasiado tarde, terei que sobreviver e viver com o que aconteceu.

Amo-te muito, Gui, e amo-te muito, filha.

A verdade

O dia C aproxima-se e a verdade vai ser revelada. Estou apreensiva e receio o que possa acontecer. Receio as consequências da cirurgia e as consequências com a minha família.

Não sei o que acontecerá, não sei.

Calma!

É o que tenho dito a mim própria: “calma!”. Preciso de estar serena para enfrentar o dia “C” (de cirurgia) e para conseguir lidar comigo, porque há a hipótese de ficar com um corpo diferente, e para lidar com a minha família, a quem terei de contar a verdade.

Calma, tranquilidade, serenidade e clareza. São elementos necessários para o equilíbrio.

Menos secreto

A alma do negócio costuma ser o segredo. É o que se diz.

A minha doença tem sido secreta, partilhada apenas com alguns amigos próximos. Agora, tive que esclarecer com mais uma pessoa querida para que não continuasse a enganá-la.

Em relação à minha família, mantenho o secretismo, pois não quero que sofram. Vou manter a minha doença secreta até ao limite, até sentir que é o momento certo para a revelar.